Pai solteiro

Um pai solteiro é uma situação bastante incomum na sociedade polonesa, porque, em caso de divórcio, as mulheres geralmente têm a custódia dos filhos. O tribunal leva em consideração o interesse superior da criança, mas geralmente acredita-se que a mãe deve cuidar dos filhos e que eles devem ficar com ela. O pai que cria os filhos sozinho é mais comum devido à viuvez de um homem que perde a esposa e passa a ser o único responsável pelos filhos. A situação de um pai solteiro é difícil e muitas vezes associada a muitos problemas educacionais.

Veja o filme: "Como cuidar de um relacionamento adequado com uma criança?"

4 ideias para o pai brincar de forma criativa com a criança [5 fotos]

Acontece cada vez mais que o pai trabalha até tarde e quando chega em casa já não tem forças para brincar ...

veja a galeria

1. Problemas de pais solteiros

Pais solteiros têm muitos dilemas, tanto pessoais quanto familiares, após a morte ou partida de sua esposa por outro homem. De repente, eles se deparam com a necessidade de serem pais solteiros, o que não é fácil porque envolve o cumprimento de um duplo papel - pai e mãe. Na maioria das vezes, os homens reduzem seu papel na família para ganhar dinheiro e garantir um status material adequado para seus filhos e esposa. No caso da paternidade solteira, não deve apenas cumprir as suas obrigações profissionais, mas também cuidar da casa e da guarda dos filhos, muitas vezes até agora limitada.

Homens solteiros com filhos se deparam com a necessidade de aprender as atividades domésticas femininas comuns, como cozinhar, lavar, limpar, supervisionar o desenvolvimento educacional dos filhos (verificando os deveres de casa, cuidando da compra de material didático necessário, participando de reuniões escolares, etc.) . Às vezes é muito difícil conciliar o trabalho com as responsabilidades de um pai e o estar em casa. Portanto, é importante que os filhos, se tiverem idade suficiente, ajudem o pai nas dificuldades de ser mãe solteira. Eles podem, por exemplo, fazer compras, limpar seus quartos ou lavar roupa. Estabelecer as responsabilidades domésticas de cada membro da família pode ser extremamente útil. As dificuldades para cuidar da casa são menos sentidas pelos pais solteiros que moram com outros membros da família, por exemplo, com a avó ou tia.

Os pais solteiros também costumam ter dificuldade em se conectar emocionalmente com os filhos. As mulheres são naturalmente mais gentis, sensíveis e capazes de ter empatia com os dilemas de seus filhos. Os homens, por outro lado, tendem a ser mais práticos e são mais relutantes em expressar seus sentimentos. Ao crescer, uma adolescente criada por um pai solteiro pode não querer falar sobre problemas que a incomodam na época, pode ter vergonha de falar sobre certas coisas. O bom contato com seu pai pode ajudá-lo a superar sua vergonha. No entanto, os pais muitas vezes marginalizam a necessidade de um vínculo emocional com os filhos, o que pode criar alienação, constrangimento e solidão nos relacionamentos.

2. O que significa ser pai solteiro?

Não há uma resposta clara para a pergunta acima, porque cada família é diferente, tem uma hierarquia de valores diferente e é guiada por prioridades diferentes. Às vezes, um pai solitário pode se preocupar com o bem-estar de sua família e um futuro digno para seus filhos, esquecendo-se da necessidade de estar perto de seus filhos, perto de seus problemas. Não é fácil para eles depois que sua mãe vai embora, assim como para meu pai. Freqüentemente, eles vivenciam a separação dos pais ou a morte da mãe internamente. Quando uma mulher vai para outro homem, elas muitas vezes inconscientemente (muitas vezes erroneamente, sem saber os motivos adequados da mãe para a separação) sentem pena do pai por permitir que ela desaparecesse de suas vidas, por ele não ter lutado. Esses conflitos pai-filho não tornam o cuidado solitário mais fácil.

Freqüentemente, o próprio pai solteiro tem problemas emocionais, ele não consegue lidar com a perda de sua esposa. Ele se sente traído, solitário, sente tristeza, arrependimento e amargura. Após a morte de sua esposa, muitas vezes é difícil para um homem se livrar de si mesmo, mas geralmente a consciência de criar os filhos o obriga a agir, a se jogar no trabalho e esquecer o trauma. Cumprir as responsabilidades dos pais requer muito esforço e compromisso de um pai solteiro. As dificuldades, sejam financeiras, psicológicas ou monoparentais, nem sempre são fáceis de enfrentar.

Como únicos ganha-pão, os pais solteiros muitas vezes têm que assumir um trabalho remunerado adicional para dar aos filhos as condições materiais necessárias. Já não há tempo para contactos com os filhos e para cuidar deles. A fadiga e o estresse ameaçam prejudicar a saúde física e mental. A falta de uma mulher na família pode se manifestar na negligência dos afazeres domésticos. Também influencia a formação de um modelo de funcionamento familiar e das relações homem-mulher entre os filhos. Homens divorciados que experimentaram uma profissão conjugal muitas vezes se sentem traídos e têm uma imagem negativa da mulher.

3. Um pai solteiro e filhos

Somente o pai que cuida dos filhos pode ter um efeito patogênico na adolescência dos filhos, atrapalhando a preparação da filha e do filho para os papéis de gênero. A ausência da mãe na família resulta na incapacidade de reconhecer os modelos femininos e distingui-los do papel masculino. Os filhos criados por um pai podem ser ensinados a lidar com problemas, que é uma vergonha demonstrar lágrimas ou fracassos e a serem duros e constantes para superar as dificuldades da vida. Às vezes, os filhos criados exclusivamente pelos pais costumam ser mais engenhosos e orientados de maneira prática para a vida. Acontece, porém, que a falta de uma mãe na família se manifesta na dificuldade de expressar emoções, na dificuldade de fazer contatos ou de se isolar.

Um pai solteiro deve se preocupar tanto com o apoio financeiro aos filhos quanto com o bom contato com eles. A confiança mútua e o desejo de compartilhar problemas de forma mais eficaz permitem que ambos os lados aceitem o fato de que sua mãe faleceu. Criar filhos com um pai não pode se limitar apenas a viver juntos. Se os filhos precisam de ajuda, apoio espiritual e compreensão, não devem hesitar em compartilhar seus próprios problemas com o pai. Devem pedir conselho a ele em primeiro lugar. Se o pai também consegue revelar seus problemas aos filhos e pedir-lhes ajuda, é sinal de intensa intimidade familiar.

O "parâmetro" da relação dos filhos com o pai é o desejo de estarem juntos. No caso do trabalho profissional do pai, nem sempre é possível, mas os momentos passados ​​juntos permitem construir relacionamentos adequados na família. A autoridade do pai cresce aos olhos dos filhos quando ele pode falar sobre coisas difíceis, planejar atividades com eles e ensiná-los a tomar decisões. Os pais sozinhos muitas vezes acham mais difícil aprender a falar. Eles acreditam que a preparação para a vida familiar passa pela escola, pelos livros e pelos programas de TV. No entanto, as conversas com as crianças não devem ser marginalizadas. O papel consciente do pai é se envolver no desenvolvimento emocional dos filhos.

A vantagem de criar os filhos, principalmente filhas, pelos pais é despertar neles maior curiosidade pelo mundo, evitando atitudes que protejam os filhos e ensinando-os a correr riscos por conta própria. As crianças sabem o que significa lidar com os problemas e como prosseguir. No entanto, deve-se lembrar que uma família incompleta sempre envolve alguma perda para os filhos. Pois o amor do pai não suprirá a falta do amor da mãe porque é diferente. Um pai geralmente ama um filho porque isso corresponde às suas expectativas. O amor de mãe, por sua vez, é mais incondicional. Uma combinação habilidosa do papel de um bom pai e uma mãe cuidadosa no caso de cuidar de crianças solteiras é uma tarefa difícil, embora possa ser feita.

Tag:  Rossne Família Tenho Região