Amigo invisível

O amigo invisível com quem a criança fala e brinca, muitos pais têm dúvidas e preocupações se a criança está se desenvolvendo adequadamente e se tudo está bem. Uma criança em idade pré-escolar tem uma imaginação extremamente viva, gosta de colorir e colorir muitas coisas, também conhece pequenas mentiras. O amigo invisível faz parte do mundo de fantasia da criança em idade pré-escolar. Se o amigo fictício não estiver acompanhado de sintomas como evitar contatos reais com colegas, inibição do desenvolvimento da fala, isolamento e agressão, não há necessidade de se preocupar.

Veja o filme: "Como está se desenvolvendo uma criança em idade pré-escolar?"

1. Brincadeira simbólica da criança

Na primeira infância, surge a capacidade de lembrar objetos e fenômenos ausentes com símbolos e signos. Na idade pré-escolar, a criança domina vários sistemas simbólicos e escolhe aqueles relacionados à cultura em que vive. A representação simbólica, assim como a capacidade de imaginar coisas, fenômenos, seres, estão associadas ao desenvolvimento de processos intelectuais. A brincadeira simbólica consiste em substituir alguns objetos por outros, por exemplo, uma banana para ser usada como receptor de telefone. No jogo simbólico, a criança não imita a realidade, mas assimila o mundo à sua representação da realidade. Em outras palavras, ele apresenta em jogo o que sabe sobre a realidade.

Até os quatro anos de idade, a criança projeta padrões simbólicos em novos objetos. Ele faz isso na forma de reproduzir suas próprias ações fingidas, por exemplo, fingindo o choro de um ursinho de pelúcia ou imitando atividades observadas. Durante este período de desenvolvimento, a criança também gosta de substituir cenas reais por imaginárias, por exemplo, preparar uma boneca para o banho. Dos quatro aos sete anos de idade, a brincadeira simbólica torna-se ordenada - as crianças usam muitos objetos substitutos, assumem papéis e regras relacionadas a eles. Durante a brincadeira, a criança constrói seus próprios mundos em sua imaginação, por exemplo, casa, loja, cidade, etc. Dessa forma, ela aprende sobre papéis sociais, como mãe, pai, vendedor, médico, etc.

Brincar com brinquedos fofinhos também desempenha um papel especial na idade pré-escolar. Eles são de grande importância para o desenvolvimento emocional de uma criança. Brinquedos macios e outros brinquedos fofinhos ajudam seu filho a passar do contato emocional com a mãe para a autonomia emocional. Às vezes, esse papel é desempenhado por companheiros imaginários. Um amigo imaginário não significa imediatamente um distúrbio de desenvolvimento em uma criança. Isso é perfeitamente normal e até extremamente desejável do ponto de vista do desenvolvimento emocional. Freqüentemente, um amigo fingido é feito por bebês que são apenas crianças e não têm grandes possibilidades interpessoais com os colegas. Esse amigo imaginário os compensa, de certa forma, por sua “fome de contato” com outras crianças.

2. Faça um amigo

Os pais costumam ficar preocupados quando um filho em idade pré-escolar fala consigo mesmo e ainda está acompanhado por um amigo invisível. A brincadeira de uma criança com a realidade pode ser aterrorizante. No entanto, não há razão para se preocupar quando uma criança está se desenvolvendo normalmente, é alegre, resoluta e com fala em desenvolvimento. Na idade pré-escolar, as crianças têm uma imaginação muito vívida e muitas vezes criam um "mundo paralelo" ao real - uma terra de fantasia. Este fenômeno é bastante normal. Porém, se uma criança tem mais de quatro anos, tem apenas um mundo próprio, evita o contato com outras crianças, é retraída, retraída, apática e não fala, deve procurar imediatamente um especialista. O comportamento estranho, a linguagem e os déficits sociais da criança podem sugerir autismo na primeira infância.

3. Imaginação da criança

Crianças pequenas costumam fazer amigos, dar nome a eles, brincar e conversar com eles. Às vezes, eles contam a seus pais sobre seu amigo imaginário. Esse amigo pode ser um grande coelho, um ouvinte fiel ou um verdadeiro encrenqueiro. Os cientistas são da opinião de que a criação de personagens imaginários por um pré-escolar mostra um alto potencial intelectual e é uma das etapas do desenvolvimento mental de uma criança. Às vezes, um amigo irreal ajuda a criança a lidar com os medos - com um amigo invisível é mais fácil, por exemplo, sobreviver ao primeiro dia no jardim de infância. Além disso, você pode culpá-lo por muitas pegadinhas.

Alguns especialistas afirmam que o amigo imaginário de uma criança pode contribuir para o desenvolvimento da fala, apoiar a criatividade da criança e adquirir novas habilidades. Ao conversar com um amigo que não existe realmente, a criança adquire competência linguística, aprende a construir frases e a conduzir uma conversa. Porque ele tem que personificar os dois lados que estão conversando consigo mesmo, ele também aprende a ver o mundo da perspectiva dos outros. É mais fácil para ele compreender e demonstrar sentimentos como amizade ou amor.

Além das conversas da criança com um amigo invisível, os pais podem ser perturbados quando a criança está falando consigo mesma. Ele diz algo a si mesmo, "pensa em voz alta". Falar sozinho também é uma parte significativa do desenvolvimento mental de uma criança. Os cientistas acreditam que esse tipo de discurso pode ser responsável por até 60% do que diz uma criança com menos de 10 anos. Não repreenda seu filho por falar sozinho ou elimine esse tipo de comportamento. Não indica nenhum transtorno mental. É assim que a criança "processa" a realidade.

4. Como reagir ao amigo invisível da criança?

Certamente, os pais não devem se preocupar imediatamente se algo está errado. Um amigo imaginário provavelmente desaparecerá no final do período pré-escolar. Também não é permitido zombar da imaginação da criança. Trate o amigo imaginário da criança com compreensão - se a criança quiser que o biscoito também receba seu "sprite", dê-o a ela. Os pré-escolares estão ansiosos para contar histórias imaginárias e gostam de colorir a realidade. Crianças de três e quatro anos ainda não distinguem o fato da ficção, e sua imaginação é extremamente vívida. Às vezes, eles não dizem a verdade, o que não significa necessariamente mentir. Fantasiar que eles têm um amigo às vezes é um reflexo de desejos e sonhos. Um amigo invisível, inventando histórias e colorindo a realidade em algum momento do desenvolvimento de uma criança é bastante normal. Uma criança pequena não vê a fronteira entre o mundo de mentira e o mundo real. E isso é absolutamente positivo.

Joanna Krocz

Tag:  Bebê Gravidez De Planejamento Preschooler